Buscar
  • Jorge Barros

Afinal, qual a diferença entre Diversidade e Inclusão?



Diversidade e Inclusão - Além de estarem entre as principais pautas mundiais, estas duas palavras são frequentemente utilizadas juntas, como se fossem uma coisa só. Mas não são! A ideia, aqui, não é trazer o significado das palavras isoladamente ao pé da letra (até porque, para isto, seria melhor recorrer ao dicionário), mas, antes, trazê-las dentro do contexto no qual elas são integradas, ou seja, dentro do cenário das organizações. Então, vamos lá: O que é Diversidade? O que é Inclusão? Qual a diferença entre uma coisa e outra? E, principalmente, por que os benefícios de cuidar de ambas vai muito além da preocupação com imagem e reputação da empresa?

O que é Diversidade

A palavra 'Diversidade', isoladamente e ao pé da letra, se resumiria em algo como 'qualquer coisa que seja variada e diferente'. Por este motivo muitas pessoas acreditam que, para haver diversidade nas organizações, basta inserir pessoas diferentes umas das outras. Vale ressaltar que existem múltiplas definições para 'O que é Diversidade nas Organizações' e não cabe a mim trazer a melhor ou mais certa, e sim aquela na qual eu acredito e com a qual nos identificamos na Fator Diversidade. E o nosso conceito de diversidade nas organizações vai além de 'misturar pessoas diferentes ou variadas para compor um time de trabalho'. Em seu artigo à Revista de Administração de Empresas da FGV, Maria Luiza Fleury salienta que a diversidade, essencialmente, diz respeito à individualidade e ao seu reconhecimento. Ou seja, para haver Diversidade (de verdade) nas organizações, é preciso que, primeiramente, as diferenças em cada indivíduo sejam percebidas pelo próprio grupo. Em segundo lugar, é preciso haver o respeito a estas diferenças ou individualidades. E, cá entre nós, melhor ainda, se conseguirmos subir um nível e, além de respeitarmos, valorizarmos justamente o que cada um tem de diferente. Aí sim podemos dizer que há diversidade: quando há reconhecimento, respeito e valorização às diferenças entre as pessoas que compõem a organização. E, neste caso, o que significa valorizar? Dentro da organização, valorizar às pessoas e suas diferenças vai desde reconhecer, dar feedback e elogiar, até mesmo a atribuir valor financeiramente, oferecendo vagas, posições e remunerações que evidenciem que o profissional é valioso. Por isto, não é possível dizer que há diversidade caso não aja representatividade nos diversos níveis e cargos na empresa.

E o que é Inclusão?


Muitos entendem a inclusão como o ato de integrar o outro ou de tentar trazer para perto. Há uma frase que ficou famosa que diz que "Diversidade é convidar pra festa. Inclusão é chamar pra dançar." Esta frase é de Vernã Myers, atualmente VP de Estratégia de Diversidade e Inclusão da Netflix, nos EUA (aliás, recomendo fortemente que a sigam nas redes sociais, pois ela produz conteúdos super relevantes). No entanto, será que Inclusão é realmente "convidar pra dançar"? O psicólogo norte-americano Bryan Christopher Hayes, em seu trabalho 'Criando organizações inclusivas' classificou a Inclusão como sendo a percepção de aceitação que uma pessoa tem em relação ao grupo onde ela está inserida. E a pesquisadora e cientista social Michàlle Mor Barak diz que o foco da inclusão é o pertencimento. Desta forma, é possível concluir que, diferentemente do que muitos imaginam, a Inclusão não tem relação com a forma como a pessoa é tratada, mas sim com a forma como ela se sente diante de um tratamento. Ou seja, no contexto organizacional, a Inclusão não diz à minha ação em relação ao outro, e sim a como o outro se sente em relação à minha ação. É claro que, para promover o sentimento de inclusão no outro, podemos planejar várias ações ou iniciativas chamadas inclusivas. Mas isto não significa que há inclusão. Por mais que eu promova ações inclusivas em relação ao outro, se ele não se sentir verdadeiramente pertencente e legitimado, não há experiência de Inclusão. Portanto, convidar pra dançar pode até ser uma tentativa de ação inclusiva, mas, neste caso, só haverá inclusão de fato, caso a outra pessoa se senta bem com o convite para dançar. E quem é o público alvo da inclusão? Basicamente, as pessoas que, historicamente, são estigmatizadas ou tiveram dificuldade de acesso (ou de serem incluídas) no mercado de trabalho, seja por suas condições físicas, por seu gênero, orientação sexual, origem social, étnico-racial ou outras.

Diferença entre Diversidade e Inclusão:


Podemos resumir as diferenças entre Diversidade e Inclusão, dizendo que, enquanto a Diversidade diz respeito à forma como eu trato o outro, a Inclusão diz respeito à forma como o outro se sente tratado. Diversidade se refere à ação, sobretudo a 3 ações: reconhecer, respeitar e valorizar as diferenças nos outros. Inclusão se refere à percepção e sensação, principalmente ao sentimento de pertencimento de um indivíduo em relação ao grupo onde ele está inserido. Empresas que praticam diversidade e inclusão conseguem garantir um time de colaboradores diferentes entre si, que reconhecem e apreciam suas diferenças, nas quais as pessoas se sintam verdadeiramente pertencentes e bem-quistas.

Benefícios da Diversidade & Inclusão para as empresas:


Mas afinal porque é tão importante cuidar destes temas? Estudos comprovam que as organizações que se atentam a eles estão colhendo alguns resultados positivos. Pesquisa da Mckinsey demonstra que empresas percebidas pelos colaboradores como diversas em termos de gênero têm 93% mais probabilidade de superar performance financeira de seus pares na indústria. O aumento do engajamento dos colaboradores também é apontado pela mesma pesquisa como um fator de sucesso da diversidade (há aumento de níveis de felicidade no trabalho). Isto ocorre porque, quando as pessoas se sentem pertencentes e legitimadas na empresa, elas aumentam seu nível de energia e entrega ao trabalho, de forma mais espontânea. Isto, por consequência, faz com que o ambiente também seja mais Criativo (que é outro grande benefício), pois, nada é mais eficaz para estimular a criatividade nos indivíduos do que fazendo com que eles se sintam bem dentro de suas próprias peles, sendo como são. Além da Criatividade, a Inovação também é elevada porque mentes diversas, com origens diversas, repertórios e culturas diversos contribuem para respostas diferentes do tradicional. Isso sem falar nos benefícios para a marca e sua reputação, impactando diretamente no faturamento da empresa, afinal, cada vez mais, os consumidores estão atentos às temáticas e boa parte deles dão preferência a comprar de quem age de forma coerente com o que prega. Isso quando não vão além e promovem o cancelamento ou boicote a marcas que não são inclusivas, causando diversos prejuízos. Mas há ainda um maior e principal benefício em cuidar destas temáticas: quanto mais inclusivas e diversas forem as empresas, mais pessoas poderão fazer parte dos sistemas social e econômico. Este é o grande objetivo que traçamos na Fator Diversidade.

101 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo