Buscar
  • Jorge Barros

O PERFIL DO LÍDER INCLUSIVO


A atual realidade de trabalho remoto, tal qual como nunca houve em tamanha proporção, somada ao aumento da presença de grupos minorizados nos postos de trabalho (mulheres, negros, dentre outros) fez com que a presença do Líder Inclusivo se tornasse ainda mais imprescindível nas organizações. Mais do que nunca, as pessoas estão vulneráveis e precisam se sentir bem dentro de suas próprias peles, ao invés de se sentirem inadequadas por serem diferentes ou estarem em condições e ambientes diferentes de seus colegas.


Por isto, a liderança verdadeiramente inclusiva tem um olhar atento às necessidades específicas e diferentes das pessoas que compõem seu time, mesmo que estejam distantes fisicamente. No home office, a rotina diária de uma mãe é diferente, por exemplo, da rotina de um homem solteiro. Assim como as condições de trabalho são diferentes para um colaborador que possui um escritório com boa infraestrutura em casa se comparadas às de outro que convive com familiares em um mesmo cômodo dependendo de um sinal de Internet precário. É necessário perceber e, principalmente, acolher as necessidades e dores de colaboradores.


Se o líder é aquele capaz de influenciar e inspirar pessoas, o Líder Inclusivo (ou a líder inclusiva) é aquele(a) que inspira seus colaboradores a serem autênticos, ou seja, que estimula o desejo, nas pessoas, de serem quem são (e como são). Ele também estimula outras pessoas a serem inclusivas. Assim, vai naturalmente formando outros líderes inclusivos, independentemente de possuírem ou não um cargo de liderança formal. Vai assim gerando uma corrente de pessoas capazes de inspirar, continuamente, outras pessoas a também serem autênticas.


Já que a autenticidade é valiosa, o Líder Inclusivo também precisa ser autêntico. Por isto, não há, aqui, a pretensão de apresentar uma cartilha com regras ou 'guia do líder inclusivo'. Cada líder deve ser do seu jeito essencial sem desprezar o potencial de sua singularidade, mas podemos mencionar algumas características que comumente contribuem para uma liderança inclusiva: Uma delas é o comprometimento, tanto de tempo quanto de energia dedicados à promoção de inclusão. As pessoas percebem e se engajam quando notam que há um comprometimento genuíno da liderança, não apenas proforma. A humildade também costuma ser apreciada, tanto para admitir erros, quanto para reconhecer seus vieses inconscientes ou pensamentos arraigados, demonstrando, em ações, a disposição em mudar e evoluir. A escuta também é fundamental para uma liderança inclusiva, pois de nada adianta ter um time diverso com ideias brilhantes se o líder não souber acolher e valorizar opiniões, sugestões e críticas. Por isto, cria espaços seguros, evitando julgamentos.



7 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo