Buscar
  • Jorge Barros

O que é Viés Inconsciente e como evitá-lo


Viés Inconsciente é algo que tenta influenciar todas as nossas decisões na vida. A palavra 'viés' significa tendência ou inclinação. Por exemplo, se uma notícia diz que a média móvel do número de mortes tem viés de alta, significa que a tendência é que os números aumentem ou subam nos próximos dias. Se a bolsa (de valores) tem viés de baixa, significa tendência de queda. A palavra 'viés', isoladamente, sempre tem a ver com tendência ou antecipação de um dado ou informação. Já a palavra 'inconsciente' faz alusão a algo em si mesmo sobre o qual você não tenha total controle ou conhecimento. Então, Viés Inconsciente se refere a decisões antecipadas ou pré julgamentos, principalmente sobre pessoas.

Você tem Viés Inconsciente:


Todos nós temos Vieses Inconscientes, pois eles são formados a partir de um conjunto de padrões que estabelecemos desde a infância e que influenciam a forma como agimos, julgamos e interpretamos tudo ao nosso redor. Mas não precisa se sentir mal por saber que você também tem Viés Inconsciente. Ao contrário, somente tendo ciência disto, você consegue tomar medidas para que seus vieses inconscientes não dominem suas ações. Você evita tomar más decisões sem levar em consideração as reais circunstâncias. Dentro das organizações e no que diz respeito à Diversidade, os vieses inconscientes atrapalham a atração de talentos, contratação de funcionários, promoção de pessoas, fortalecimento da marca, além de questões morais e éticas. Isto porque as decisões enviesadas são tomadas com base em pré julgamentos equivocados. Mas por que nossa mente age dessa maneira?


Como tomamos decisões:

O cérebro humano é a coisa mais complexa que conhecemos e estamos bem longe de usar todo seu potencial. Aliás, nem sequer o conhecemos totalmente. E a nossa decisão é tomada a partir da interação entre duas forças que estão lá dentro e são denominados: Sistema 1 e Sistema 2.


O Sistema 1 é chamado de Rápido porque ele é da ação. Ele age, julga, simplifica e é mais instintivo. O Sistema 2 é chamado Devagar porque ele avalia, analisa e pondera melhor as coisas. Ah... então quer dizer que o Sistema 2 (Devagar) é melhor, afinal, ele avalia melhor as coisas e não é tão precipitado, correto? Errado! Em algumas situações, é melhor utilizar o Sistema 1 para nossa proteção. Por exemplo, imagine que você está atravessando a rua e percebe um veículo desgovernado vindo em sua direção. Neste cenário, não adianta ficar ponderando, analisando, avaliando lentamente. É importante agir rápida e instintivamente para fugir e não ficar exposto ao alvo. O Sistema 1 é importantíssimo porque ele está relacionado à nossa sobrevivência. Outra vantagem do Sistema 1 é que ele é um bom filtro de informações. Nosso cérebro recebe milhões de bits de informações a mais do que conseguimos absorver. Então, o Sistema 1 nos ajuda a filtrar aquilo que realmente importa naquele momento para tomarmos decisões mais rápidas. Mas, quando vamos tomar decisões relacionadas a outras pessoas, aí sim é importante avaliar com cautela, ponderar, analisar os fatos e informações para não sermos levianos, ou seja, precisamos usar o Sistema 2 (Devagar). Veja um exemplo de como podemos nos equivocar quando não avaliamos direito e tentamos dar respostas rápidas:

Em 2017, a Revista Exame publicou uma matéria sobre o enigma postado na página 'Quebrando o Tabu', no Facebook. O enigma dizia: “Pai e filho sofrem um acidente terrível de carro. Alguém chama a ambulância, mas o pai não resiste e morre no local. O filho é socorrido e levado ao hospital às pressas. Ao chegar no hospital, a pessoa mais competente do centro cirúrgico vê o menino e diz: ‘Não posso operar este menino! Ele é meu filho!” Isso deixou muita gente de orelha em pé tentando entender como era possível, mas a resposta era mais simples do que se imaginava. Acontece que o viés inconsciente da maioria dos leitores impedia que eles considerassem a possibilidade de que a pessoa mais competente do centro cirúrgico fosse uma mulher, a mãe do menino. E existem mais de 100 diferentes tipos de Vieses Inconscientes. Vamos falar sobre alguns deles:

TIPOS DE VIESES INCONSCIENTES:

- Viés de Percepção: Talvez seja o mais comum de todos porque é a tendência que temos de tomar decisões sem base em um fato concreto, mas apenas em suposições. Estas, muitas vezes, são formadas a partir de estereótipos e pré julgamentos, como imaginar algo sobre outra pessoa em função da forma como está vestida ou de suas características físicas. - Viés de Afinidade: Este é o Viés do tipo Narciso, ou seja, avaliamos melhor as pessoas que se parecem conosco. Não há problema algum em criar afinidade e se aproximar de pessoas com as quais a gente se identifica. Passa a ser um problema quando, por exemplo, um gestor prefere contratar um candidato com o qual se identificou por ter gostos parecidos ou ter estudado nas mesmas faculdades em detrimento de outro candidato que talvez tivesse mais compatibilidade com as competências exigidas. Este comportamento prejudica a diversidade e faz com que algumas organizações tenham, por exemplo, um quadro onde a alta liderança é predominantemente masculina.

Viés Confirmatório: Neste momento em que vemos extremismos e polarizações, no Brasil e no mundo, percebemos o quanto tem crescido esse tipo de Viés. É aquela tendência que temos de entrar no Google apenas para buscar informações que confirmem nossas hipóteses. Isto também prejudica a diversidade porque vamos gostar apenas das pessoas que concordem ou tenham as mesmas opiniões que nós. E nem vamos querer ouvir ou ler algo que venha das que divergem. - Efeito Auréola: É a tendência de avaliar positivamente uma pessoa com base em apenas uma única informação ou característica. É aquele fenômeno que vemos quando uma pessoa ainda nem conhece a outra, mas já tem certeza de que vai gostar dela apenas porque ambas nasceram na mesma cidade ou gostam do mesmo partido político. - Viés de Grupo: Acontece quando eu sigo a opinião de um grupo apenas por ser a opinião da maioria, mesmo que eu não pense daquela forma. Às vezes, fazemos isto para ser aceito. Mas nem sempre a maioria tem razão. Estes e outros Vieses Inconscientes prejudicam não apenas a nossa vida, mas a vida de outras pessoas porque fazem com que escolhamos mal, desperdicemos talentos, limitemos a carreira de pessoas que poderiam ser promovidas e até podemos perder negócios. Mas como evitar ser dominado por seus Vieses Inconscientes? COMO EVITAR OS VIESES INCONSCIENTES: - Tome consciência: a primeira e mais importante coisa a se fazer é conhecer a si mesmo e seus vieses. Todos nós temos preconceitos e é importante saber quais são os nossos. Existem diversas ferramentas para evoluir seu autoconhecimento. Terapia é uma delas. Se estiver ao seu alcance, é altamente recomendável. - Peça feedbacks sobre você: pedir feedback a pessoas com as quais nos relacionamos e em quem confiamos é valiosíssimo. Podemos ficar surpresos com o que descobriremos sobre nós mesmos e nosso comportamento. - Exercite a empatia: não basta conhecer a si mesmo. É importante olhar para o outro. Procure entender as motivações, intenções e necessidades das pessoas ao seu redor.

- Compartilhe decisões: alguns temas podem ter sua decisão compartilhada com outras pessoas. Mesmo dentro das empresas, muitas vezes, uma gestão compartilhada ou participativa pode contribuir para a diminuição de decisões enviesadas.


- Sonde opiniões antes de decidir: mesmo que tenhamos que decidir sozinhos, podemos consultar opiniões de outras pessoas e ampliar nossa visão acerca de assuntos sobre os quais tenhamos que tomar as decisões. - Crie sua matriz de decisão: estabeleça critérios objetivos, métricas e elementos que serão utilizados para sua avaliação e formação da decisão de forma menos subjetiva. - Mande embora a primeira impressão: é importante questionar as primeiras impressões porque, geralmente, aquela coisa que a gente acredita ser um "feeling" ou faro ou sensação de que "o santo não bateu" não passa de um viés. Nestes casos, pode ser bom procurar informações ou elementos que contrariem nosso próprio julgamento. Ou até mesmo mudar o formato que utilizamos para ter as nossas primeiras impressões. Por exemplo, algumas empresas já promovem "testes às cegas" em etapas de processos seletivos para observarem primeiro as características técnicas, comportamentais e relacionais dos candidatos, antes de suas características físicas ou aparência pessoal.

101 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo