Buscar
  • Jorge Barros

Você não vive sem Médico. Mas e sem Artista?

Atualizado: 17 de Abr de 2020

Talvez você já tenha lido uma mensagem que se espalhou pelas redes sociais recentemente dizendo algo como "Podemos viver sem atores, mas não sem médicos, enfermeiros, policiais...". Se me permite lhe dar um conselho, não compartilhe essa bobagem. Sou profundo admirador das Ciências Médicas e é inquestionável seu precioso valor. Mas isto, de forma alguma, invalida ou diminui o papel que a Arte exerce na vida das pessoas. O próprio futuro e desenvolvimento da Medicina, bem como de todas as outras Ciências, depende da Arte. Segundo Peter Kronstrom, Head Latam do Instituto de Copenhagen de Estudos Futuros, as mentes do futuro dependem da combinação entre Ciência e Arte. Segundo o especialista, para prever futuro e enxergar mudanças que estão por vir e fazer adaptações em tempo hábil, é preciso imaginar e criar e, por este motivo, estudos futuros são a intersecção entre Ciência e Arte, onde a Ciência dá o olhar pelo mundo conhecido e a Arte treina a capacidade de criar novos futuros. Ou seja, não é possível desenhar cenários futuros utilizando apenas a parte racional da Ciência, ignorando o poder de transformação que a Arte tem na mente do ser humano. As grandes mentes de pessoas visionárias que criam tendência e antecipam futuro, cada vez mais, precisarão estar conectadas a estímulos artísticos que transformem seu olhar para o mundo. A Medicina e outras Ciências trabalham com fatos, dados e objetividade. Utilizam métodos que isolam tudo que seja parecido com o acaso, o incerto ou subjetivo. De forma racional, buscam a veracidade que comprove suas teorias. É ótimo que seja assim! Afinal, quem teria coragem de se submeter, por exemplo, a determinadas drogas para tratamento médico sem comprovação de que aquilo iria contribuir efetivamente para sua saúde? No entanto, para haver evolução nos estudos científicos, sempre é preciso que tenha alguém com audácia e coragem suficientes para desafiar antigas teorias e propor novos caminhos. É assim que a Ciência evolui. É assim que, a cada ano, temos mais avanço e inovação. É preciso que algumas mentes imaginem ser possível criar algo diferente do que temos hoje. E como criar mentes capazes de imaginar e criar? Não conseguimos isso utilizando apenas o lado racional. É aí que está uma das maiores contribuições da Arte. Enquanto a Ciência trabalha com a razão, a Arte estimula a imaginação. E a imaginação é primeira condição essencial para o aprendizado, para a busca do conhecimento e para a criatividade. Ou seja, é possível afirmar que, se não fossem os estímulos artísticos, dificilmente conseguiríamos ter pessoas criativas em quaisquer áreas, inclusive nas áreas científicas. É a partir do estímulo à imaginação que, desde criança, formamos as mentes curiosas com maior predisposição para aprender novos conhecimentos e testar novas alternativas. Por este motivo, podemos dizer que os avanços obtidos nas áreas científicas ao longo dos séculos deveram-se também às expressões artísticas de cada época que, mesmo indiretamente, estimularam e influenciaram a sociedade contemporânea, ao mesmo tempo que eram um reflexo dela. Ao invés da objetividade, a Arte faz opção pelo fantástico, pelo sonho e pela intuição. Livre de sistemas e métodos objetivos, o artista dá vazão ao impulso humano e à capacidade imaginativa de seu poder cognitivo. Sem arte não há criação, inovação, nem evolução. Mas, mesmo que a Arte tenha contribuído para o avanço Científico, será que estes avanços têm sido bons para a humanidade? Afinal nossos maiores problemas ambientais e sociais parecem ter sido frutos deles. É aí que entra outra (se não a maior) contribuição da Arte para o homem. O que destrói nosso planeta não costuma ser o avanço científico ou tecnológico em si, mas a ganância à qual muitas vezes estes avanços estão a serviço. A falta de capacidade de amor, de empatia, de se colocar no lugar do outro e buscar um bem maior para o coletivo é o grande mal da humanidade. E não é utilizando métodos racionais que conseguimos transformar o ser humano. É preciso tocar suas emoções. Esta é a grande missão da Arte. Ela acessa pontos de sentimentos. É possível que tenha alguma música que você conheça que te arrepie só de ouvir os acordes iniciais. Ou uma cena de filme que tenha feito você chorar feito criança. A Arte torna as pessoas mais humanas. São inúmeros os relatos de indivíduos e grupos, anteriormente marginalizados, que, a partir do poder da Arte, tiveram suas vidas transformadas. Existem lindos relatos de resolução de contextos sociais em comunidades de periferia, dentre outras, que ressignificaram completamente suas histórias a partir do contato com a dança, a música e outras manifestações artísticas. Se mais pessoas tivessem sido sensibilizadas pela Arte ao longo dos séculos, provavelmente, hoje teríamos uma população mais empática, mais humanizada e com maior senso coletivo. Assim, teríamos menos problemas ambientais para a Ciência ter que resolver. Ao invés de dizer que "podemos viver sem artista, mas não sem polícia", as pessoas com maior expansão de consciência dependeriam menos de polícia, regras e leis para agirem da forma correta.

A Arte cura e transforma pessoas. Ela mexe com a paixão. Para o autor Max Weber, nada tem valor a menos que possa ser feito com paixão e é a partir dela que trabalhamos com inspiração. Aproveite você também! Beneficie-se da Arte e torne seu dia a dia mais inspirador. Mas como? Calma! Não precisa correr para todas as galerias e exposições de arte. Às vezes, a Arte está mais próxima de você do que imagina. Recebemos e emitimos estímulos artísticos o tempo todo, desde criança. Antes mesmo de aprendermos a andar com firmeza, nosso corpo já tenta dançar desde bebê. Crianças aprendem a cantarolar antes de falar. Somos impactados pela Arte quando saímos da sala de cinema tão reflexivos, que não conseguimos emitir uma única palavra. Ou tão eufóricos, que não conseguimos parar de falar sobre aquilo. Dedique parte do seu dia para, de forma consciente, ter contato com a Arte. Escolha aquilo que combina com você - a poesia, a dramaturgia, a música, a dança. Existem, no Brasil e fora, milhares de conteúdos artísticos gratuitos e, muitos deles, inclusive, disponíveis em formato digital e online. Mas olha... não descarte também aquela possibilidade mencionada inicialmente: ir a exposições de arte. Eu amo um texto da Magele Valdo onde ela diz que muita gente responde que não vai a exposição porque não entende de arte. E ela convida para experimentar ficar alguns segundos em silêncio diante da obra, sem procurar entender os porquês, sem pensar se foi fácil ou difícil para o artista fazer, nem tentar entender o que ele quis dizer. Não pense, apenas sinta. E você estará se transformando sem perceber. A Arte cria conexões com a vida, com pessoas e memórias. Com o tempo, você vai se sentir diferente, mas nem vai saber que foi a Arte que te transformou. Deixe a Arte entrar sem se preocupar no que vai dar.


101 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo